top of page

Uma língua Mãe

Nívea Moraes Marques


A pureza implora uma linguagem-flor

Uma língua Mãe

Uma linguagem- tia Aurora

Um país casto e manso

Só apenas nove horas

Fugindo de sono sem estribeiras:

Eu falo como quem morre!

E minha língua de esfarrapados espinhos

Não é matéria para a coroa de Cristo

É fibra próxima dos pés

Rôta chagada empesteada de sangue

Empapada do pó das estradas

(Mais um dia perfumada

por amor e arrependimento)

Calçada das sandálias feitas

do couro macio das misericórdias.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page